A arte de ouvir





Hoje a tecnologia nos permite várias formas de comunicação, no entanto, estamos cada vez mais desconectados dos outros e mais conectados nos canais que podemos falar, e numa ânsia de falar, esquecemos de ouvir o outro. Despejamos nossos conhecimentos no outro, entrando numa heurística que nos faz enganar, passar mensagens incoerentes e que sem saber, acabamos pode deixar a pessoa pior do que melhor.

Tudo o que se atribui sentimento, gera uma emoção, que pode ser positiva ou negativa. Mas se percebemos, quando alguém quer desabafar, simplesmente não temos paciência de ouvir e fechamos um resultado, pouco importa o que a pessoa fala depois, achamos que sabemos, que essa história é igual a outra, e sem perceber, magoamos as pessoas, porque não olhamos nos olhos delas quando falam, quando preferimos ouvir só com ouvidos e olhos no celular. Quando temos alguém em nossa frente, mas não estamos lá. Quando se invalida o sentimento de alguém porque não se é capaz de se colocar no lugar do outro e simplesmente julgar de onde se está.

Se todos estamos conectados e fazemos parte do todo, estamos então, todos envolvidos no sofrimento da humanidade, porque agimos de forma imediatista, automática e genérica. Julgamos os outros, criticamos, apontamos seus erros, sem perceber que o fazemos a nós mesmos, e mesmo alguém que se nomina bom, pode estar sendo cruel como um demônio sem saber.

O quanto nos importamos quando alguém precisa de uma conversa, um colo, um acolhimento? O quanto nos proporcionamos isso?

Certamente, a vida não é fácil, e muitas vezes o sofrimento vem como um aprendizado, mas há sempre outro caminho, que é o do amor. O que nos falta é falar tanto de amor, fraternidade, compaixão, empatia, mas isso não ser aplicado em nosso dia a dia. Como ensinar algo que pouco praticamos em nosso dia a dia?

Estar presente para uma pessoa que te procura é o melhor presente que você pode dar, porque ninguém está em uma situação de sofrimento intencionalmente, ela pode ter muitas razões para tal, mas lhe atribuir culpa, sentimentos de inferioridade, dizer o que está errado, simplesmente não funciona.

Quando não se julga, aceita a perfeição de Deus e do Universo em tudo, respeitando a evolução e o momento de cada um, dando para cada qual o que ele necessita e não o que achamos ser o melhor.

Ver o outro como irmão é tratá-lo com a mesma reverência e respeito com o qual temos com qualquer divindade que respeitamos. Será que se Jesus se apresentasse em sua frente, você continuaria fazendo o que está fazendo e não daria plena atenção? E pergunto, se todos somos UM, Jesus está em cada um, sem diferenças, sem discriminações e sem escolha.

Se você quer acabar com seu sofrimento, comece primeiro observando de que forma você comunica com o outro, quanto cuidado você tem ao acolher essa pessoa e se de fato, o que você diz, condiz com o que ela precisa ou o que você deseja falar. E se você prestar atenção a partir de agora e começar a de fato estar presente as pessoas, com certeza será eliminará o teu próprio sofrimento.

Despertando para a verdadeira linguagem que representa o nível desta existência que é o amor. Jamais transcenderemos enquanto estivermos amarrados na calúnia, no maldizer, no julgamento e na crítica. Enquanto acreditarmos que um pode ser melhor que outro, que alguém merece mais reverência que outro, continuaremos aqui, no sofrimento e na angústia.

A transcendência vem, quando eu só emano palavras de amor, quando sei acolher qualquer um com amor, quando eu vejo só o bem nas pessoas, quando eu me calo no silêncio, para permitir que o outro obtenha alívio, quando eu me comprometo a ser amoroso comigo e com os outros. Não é um lugar a ocupar fora, não é um espaço externo e sim, dentro do meu templo interior, onde acolho a todos que precisam, onde eu percebo que mesmo sendo alguém insignificante (sem status ou renome) me sinto fundamental e feliz por fazer parte desta transformação que há de começar em cada um.

Não adianta querermos ajudar instituições, se não acolhemos quem está ao nosso lado.

E se você ainda profere julgamentos, críticas e maldizeres, não presta atenção no que diz, e está machucando as pessoas, certamente você ainda não transcendeu, e precisa despertar agora para cessar o sofrimento seu e dos outros.

E para finalizar, cessar o sofrimento, é simplesmente amar o outro como a ti mesmo, e se não for para levantar a pessoa, que o silêncio ativo e atencioso possa servir como alívio para aquele que precisa.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square